• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp

Atualidades

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Inflação de janeiro é a mais baixa para o mês desde 1994

08 de Fevereiro de 2017

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,38% em janeiro, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa subiu em relação a dezembro (0,30%), mas foi a mais baixa para janeiro desde 1994. Em janeiro do ano passado, havia ficado em 1,27%.

Com os números de hoje, a inflação acumulada no país nos últimos 12 meses ficou em 5,35% – abaixo dos 6,29% dos 12 meses imediatamente anteriores.

A meta de inflação anual no país é 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais para baixo (2,5%) ou para cima (6,5%).

Dos 9 grupos pesquisados, 6 aceleraram e 3 desaceleraram em relação ao mês anterior.

O grupo de Transportes foi puxado para cima por altas de 3,10% no etanol e 0,84% na gasolina e para baixo pelas passagens aéreas, que foram de alta de 26,29% em dezembro para queda de -7,36% em janeiro.

8 das 13 regiões pesquisadas tiveram alta nos ônibus urbanos, item que entra também nesse grupo e que teve sozinho o maior impacto individual (0,07 ponto percentual) na taxa final.

Alimentação e Bebidas, de longe o grupo com mais peso no índice, acelerou em janeiro puxado tanto pela alimentação fora de casa (de 0,33% para 0,69%) quanto pelo consumo em casa (de -0,05% para 0,17%).

As maiores altas mensais foram nos itens cenoura (7,98%), óleo de soja (7,66%), farinha de mandioca (5,51%) e bolo (3,34%).

O grupo Habitação voltou a subir. As contas de energia elétrica continuam caindo, mas em ritmo menos intenso, mas houve alta nas taxas de água e esgoto.

Fonte: Exame.com.br

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,38% em janeiro, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa subiu em relação a dezembro (0,30%), mas foi a mais baixa para janeiro desde 1994. Em janeiro do ano passado, havia ficado em 1,27%.

Com os números de hoje, a inflação acumulada no país nos últimos 12 meses ficou em 5,35% – abaixo dos 6,29% dos 12 meses imediatamente anteriores.

A meta de inflação anual no país é 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais para baixo (2,5%) ou para cima (6,5%).

Dos 9 grupos pesquisados, 6 aceleraram e 3 desaceleraram em relação ao mês anterior.

O grupo de Transportes foi puxado para cima por altas de 3,10% no etanol e 0,84% na gasolina e para baixo pelas passagens aéreas, que foram de alta de 26,29% em dezembro para queda de -7,36% em janeiro.

8 das 13 regiões pesquisadas tiveram alta nos ônibus urbanos, item que entra também nesse grupo e que teve sozinho o maior impacto individual (0,07 ponto percentual) na taxa final.

Alimentação e Bebidas, de longe o grupo com mais peso no índice, acelerou em janeiro puxado tanto pela alimentação fora de casa (de 0,33% para 0,69%) quanto pelo consumo em casa (de -0,05% para 0,17%).

As maiores altas mensais foram nos itens cenoura (7,98%), óleo de soja (7,66%), farinha de mandioca (5,51%) e bolo (3,34%).

O grupo Habitação voltou a subir. As contas de energia elétrica continuam caindo, mas em ritmo menos intenso, mas houve alta nas taxas de água e esgoto.

Fonte: Exame.com.br