Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Usos do SE - Parte II

23 de Fevereiro de 2012

E se eu usar esse se? (parte 2)



E aí, gente, tudo bom? Terminando de falar sobre os usos do “se”, vamos aproveitar pra falar sobre a diferença entre dois tipos de sujeito: o paciente e o indeterminado.



O sujeito paciente já é nosso conhecido, é quando ele sofre a ação indicada, como em “As roupas foram dobradas” ou “Dobraram-se as roupas” (repare que ele é o sujeito, pois há a concordância com o verbo).



Já o sujeito indeterminado, ocorrerá em frases como “Precisa-se de empregadas”. Note que empregadasnão é sujeito da oração, uma vez que não há concordância (verbo no singular, empregadas no plural) e é impossível reescrever essa frase na forma “De empregadas são precisadas”, assim como foi possível fazer anteriormente. Tal construção também pode ser encontrada em frases como “Era-se feliz” ou “Vive-se bem”.


Somente com esses critérios fica complicado saber quando teremos um sujeito paciente ou indeterminado, portanto, vamos esquematizá-los para que não haja dúvidas?



Partícula Apassivadora

“Alugam-se casas”

Notaram algo interessante nos verbos acima? Tanto o verbo alugar quanto o verbo dobrar (quando na voz ativa), normalmente, são VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS (VTD). Além disso, uma vez que o sujeito é paciente, o verbo poderá variar em número, aparecendo no singular ou plural (vende-se carro, vendem-se carros).



Índice de Indeterminação do Sujeito

“Precisa-se de Empregadas”

“Era-se feliz”

“Vive-se bem”


Os verbos descritos acima, diferentemente dos da Partícula Apassivadora, não são VTD. O verbo precisar é um Verbo Transitivo Indireto (VTI); o verbo ser, de ligação (VL) e o verbo viver, intransitivo (VI). Essas construções sempre estarão na voz ativa e o verbo SEMPRE estará no singular.



Critério prático:

Verifique se o verbo está no singular ou plural. Caso esteja no plural, temos partícula apassivadora. Caso ele esteja no singular, identifique a transitividade do verbo. Caso ele seja VTD, teremos partícula apassivadora. Se ele for VTI, VI ou VL, teremos índice de indeterminação do sujeito.

Entenderam? Na próxima publicação focaremos na diferença entre as transitividades dos verbos, caso você não tenha entendido qual a diferença entre um VTD e um VL, por exemplo.



Qualquer dúvida, entrem em contato. Um beijo no coração e até a próxima.



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela Unicamp.

E se eu usar esse se? (parte 2)



E aí, gente, tudo bom? Terminando de falar sobre os usos do “se”, vamos aproveitar pra falar sobre a diferença entre dois tipos de sujeito: o paciente e o indeterminado.



O sujeito paciente já é nosso conhecido, é quando ele sofre a ação indicada, como em “As roupas foram dobradas” ou “Dobraram-se as roupas” (repare que ele é o sujeito, pois há a concordância com o verbo).



Já o sujeito indeterminado, ocorrerá em frases como “Precisa-se de empregadas”. Note que empregadasnão é sujeito da oração, uma vez que não há concordância (verbo no singular, empregadas no plural) e é impossível reescrever essa frase na forma “De empregadas são precisadas”, assim como foi possível fazer anteriormente. Tal construção também pode ser encontrada em frases como “Era-se feliz” ou “Vive-se bem”.


Somente com esses critérios fica complicado saber quando teremos um sujeito paciente ou indeterminado, portanto, vamos esquematizá-los para que não haja dúvidas?



Partícula Apassivadora

“Alugam-se casas”

Notaram algo interessante nos verbos acima? Tanto o verbo alugar quanto o verbo dobrar (quando na voz ativa), normalmente, são VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS (VTD). Além disso, uma vez que o sujeito é paciente, o verbo poderá variar em número, aparecendo no singular ou plural (vende-se carro, vendem-se carros).



Índice de Indeterminação do Sujeito

“Precisa-se de Empregadas”

“Era-se feliz”

“Vive-se bem”


Os verbos descritos acima, diferentemente dos da Partícula Apassivadora, não são VTD. O verbo precisar é um Verbo Transitivo Indireto (VTI); o verbo ser, de ligação (VL) e o verbo viver, intransitivo (VI). Essas construções sempre estarão na voz ativa e o verbo SEMPRE estará no singular.



Critério prático:

Verifique se o verbo está no singular ou plural. Caso esteja no plural, temos partícula apassivadora. Caso ele esteja no singular, identifique a transitividade do verbo. Caso ele seja VTD, teremos partícula apassivadora. Se ele for VTI, VI ou VL, teremos índice de indeterminação do sujeito.

Entenderam? Na próxima publicação focaremos na diferença entre as transitividades dos verbos, caso você não tenha entendido qual a diferença entre um VTD e um VL, por exemplo.



Qualquer dúvida, entrem em contato. Um beijo no coração e até a próxima.



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela Unicamp.