• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp

Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Acentos diferenciais e Palavras Homônimas e Parônimas

09 de Maio de 2012

Acentos diferenciais e Palavras Homônimas e Parônima





E aí, gente, tudo bom? Estamos no ano de 2012 e a Reforma Ortográfica finalmente entrou em vigor. Até o ano anterior, estávamos em um período de transição que era possível ainda escrever da maneira antiga. A partir de agora, não mais serão aceitas tais grafias. Mas não se preocupem, afinal, não foram tantas mudanças assim.

Uma das principais é a que se refere ao acento diferencial. Para falar sobre isso, é interessante falar sobre o conceito de Palavras Homônimas e Parônimas. Já notou que a palavra “manga” pode se referir tanto a uma parte de uma camiseta ou a uma fruta? Ou que as palavras sessão e seção são idênticas no som, mas se diferem na escrita? Ou ainda nas palavras cumprimento e comprimento que são muito parecidas, mas com significado diferente? Pois bem, respectivamente, tivemos exemplos de palavras Homônimas Perfeitas, Homônimas Imperfeitas e Parônimas.

Homônimas Perfeitas – Mesmo som e escrita, significado diferente.





Notaram que “manga” possui dois significados completamente diferentes, apesar da mesma grafia e pronúncia? Tal fato caracteriza uma Homonímia Perfeita, caso que também ocorre com “casa” (“Ele mora numa casa bonita” ou “Amanhã ele se casa”).

Homônimas Imperfeitas – Mesmo som, mas escrita e significado diferentes.
Além do exemplo já citado de “sessão” (A sessão de cinema iniciará às quatro da tarde) e “seção” (A seção de livros estrangeiros da biblioteca está fechada), esses casos são muito comuns, como nas palavras “caçar” (Era comum o homem primitivo caçar sua comida) e “cassar” (A câmara dos vereadores decidiu cassar o mandato do prefeito).

Parônimas – Som parecido, significado diferente.





Note que comprimento (O comprimento da pista é de 100 metros) e cumprimento (O cumprimento das leis é fundamental para que a sociedade se mantenha) são muito parecidas na pronúncia, mas possuem significados totalmente diferentes. Essas são as palavras PARÔNIMAS, assim como imigrante (que chega) e emigrante (que sai).

Conceito entendido? Pois bem, os acentos diferenciais de nossa língua existiam para resolver alguns casos de palavras homônimas ou parônimas. Antigamente havia diferença entre a preposição “para” (Comprei um presente para você) e o verbo “pára” (Pára de falar assim!). Essas diferenças não mais existem, agora ambas palavras são escritas da mesma forma. Quase todos os acentos diferenciais foram extintos, com exceção desses três:

Tem/Vem – Têm/Vêm


A diferenciação entre a terceira pessoa do singular (ele tem, ele vem) e terceira do plural (eles têm, eles vêm) ainda existe, assim como nos verbos derivados (eles mantêm, eles advêm).

Pode/Pôde



Os verbos que recebem diferentes acentos no presente (Ele pode fazer a tarefa hoje) ou pretérito perfeito (Ele não pôde fazer a tarefa ontem) permanecem iguais.

Por/Pôr





A última diferenciação é a da preposição “por” (Ele passou por sua casa) e o verbo sinônimo de colocar (Ela vai pôr um brinco na orelha).


Entenderam as diferenças? Qualquer dúvida, por favor, entrem em contato. Um beijo no coração e até a próxima.





Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela UNICAMP.


Acentos diferenciais e Palavras Homônimas e Parônima





E aí, gente, tudo bom? Estamos no ano de 2012 e a Reforma Ortográfica finalmente entrou em vigor. Até o ano anterior, estávamos em um período de transição que era possível ainda escrever da maneira antiga. A partir de agora, não mais serão aceitas tais grafias. Mas não se preocupem, afinal, não foram tantas mudanças assim.

Uma das principais é a que se refere ao acento diferencial. Para falar sobre isso, é interessante falar sobre o conceito de Palavras Homônimas e Parônimas. Já notou que a palavra “manga” pode se referir tanto a uma parte de uma camiseta ou a uma fruta? Ou que as palavras sessão e seção são idênticas no som, mas se diferem na escrita? Ou ainda nas palavras cumprimento e comprimento que são muito parecidas, mas com significado diferente? Pois bem, respectivamente, tivemos exemplos de palavras Homônimas Perfeitas, Homônimas Imperfeitas e Parônimas.

Homônimas Perfeitas – Mesmo som e escrita, significado diferente.





Notaram que “manga” possui dois significados completamente diferentes, apesar da mesma grafia e pronúncia? Tal fato caracteriza uma Homonímia Perfeita, caso que também ocorre com “casa” (“Ele mora numa casa bonita” ou “Amanhã ele se casa”).

Homônimas Imperfeitas – Mesmo som, mas escrita e significado diferentes.
Além do exemplo já citado de “sessão” (A sessão de cinema iniciará às quatro da tarde) e “seção” (A seção de livros estrangeiros da biblioteca está fechada), esses casos são muito comuns, como nas palavras “caçar” (Era comum o homem primitivo caçar sua comida) e “cassar” (A câmara dos vereadores decidiu cassar o mandato do prefeito).

Parônimas – Som parecido, significado diferente.





Note que comprimento (O comprimento da pista é de 100 metros) e cumprimento (O cumprimento das leis é fundamental para que a sociedade se mantenha) são muito parecidas na pronúncia, mas possuem significados totalmente diferentes. Essas são as palavras PARÔNIMAS, assim como imigrante (que chega) e emigrante (que sai).

Conceito entendido? Pois bem, os acentos diferenciais de nossa língua existiam para resolver alguns casos de palavras homônimas ou parônimas. Antigamente havia diferença entre a preposição “para” (Comprei um presente para você) e o verbo “pára” (Pára de falar assim!). Essas diferenças não mais existem, agora ambas palavras são escritas da mesma forma. Quase todos os acentos diferenciais foram extintos, com exceção desses três:

Tem/Vem – Têm/Vêm


A diferenciação entre a terceira pessoa do singular (ele tem, ele vem) e terceira do plural (eles têm, eles vêm) ainda existe, assim como nos verbos derivados (eles mantêm, eles advêm).

Pode/Pôde



Os verbos que recebem diferentes acentos no presente (Ele pode fazer a tarefa hoje) ou pretérito perfeito (Ele não pôde fazer a tarefa ontem) permanecem iguais.

Por/Pôr





A última diferenciação é a da preposição “por” (Ele passou por sua casa) e o verbo sinônimo de colocar (Ela vai pôr um brinco na orelha).


Entenderam as diferenças? Qualquer dúvida, por favor, entrem em contato. Um beijo no coração e até a próxima.





Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras pela UNICAMP.