Gramaticando

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Porquê tenho que usar esse Por que

27 de Setembro de 2012

E aí, gente, tudo bom?



É com grande prazer que escrevo esse primeiro texto para o Gramaticando.



Antes de tudo, sou Ivan Perina, ex-aluno da Oficina do Estudante, cursinho que me ajudou muito a ser aprovado na UNICAMP. Agora estou de volta a ele, mas dessa vez lecionando Língua Portuguesa e escrevendo aqui para vocês.



Nessa primeira semana, abordaremos um tema que muitos têm dúvida: qual a diferença entre os quatro “porquês” do nosso idioma e quando devo utilizar cada um deles?



Essa dúvida é recorrente nos plantões de dúvidas do cursinho e a resposta é bem simples.
Por que



O primeiro tipo é o “separado e sem acento”. Basicamente ele é composto pela preposição por e o pronome interrogativo que e é sinônimo da expressão por qual razão e é empregado em PERGUNTAS, como “Por que você faltou ontem?”



Ele ainda possui um segundo uso mais incomum, quando é formado pela preposição por e o pronome relativo que. Esse é sinônimo de PELO QUAL, visto em “sei bem por que faltou”.



Porque



O segundo é o “junto e sem acento”. Diferentemente do outro, temos agora uma conjunção causal explicativa, ou seja, relaciona fatos a fim de justificar algo, sendo utilizado em RESPOSTAS, como em “Faltei ontem porque estava doente” (repare que ele ligou a informação da falta e o motivo dela).



Por quê



Como terceiro temos o “separado com acento” que também é idêntico ao primeiro morfologicamente (preposição por e pronome interrogativo que). Também deve ser usado em PERGUNTAS, com a diferença é que o pronome QUE deve ser acentuado caso apareça SEGUIDO POR UM SINAL DE PONTUAÇÃO (o motivo disso será discutido futuramente em outra semana). Um exemplo existe na frase “Você faltou ontem por quê?” (repare que existe sinal de pontuação após o pronome interrogativo, causando o acento).

Porquê



O quarto e último tipo, diferentemente dos outros, é um substantivo e é sinônimo de RAZÃO, sendo usado sempre nesse sentido. Quase sempre ele vem acompanhado por algum artigo, como em “O porquê da minha falta foi minha doença” (repare que esse porquê é sinônimo de razão/motivo e veio junto ao artigo definido O).



Juntando todos em uma conversação normal, teríamos:



- Por que matemática é tão difícil???

- Difícil só se for pra você. Posso imaginar por que pensa isso. Deve ser porque você prefere humanas a exatas e, normalmente, vocês não entendem a magia dos números.

- Nossa, você diz isso por quê? Aposto que o porquê desse mal-humor é que foi mal na redação.

- Deixa pra lá... Vamos estudar que ganhamos mais.



Espero que essa explicação tenha sido válida. Ficou alguma dúvida? Surgiu outra? Não fique com ela, mande um e-mail para nós que ela será respondida.



Obrigado pela atenção, um beijo no coração e até a próxima!



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras da UNICAMP




E aí, gente, tudo bom?



É com grande prazer que escrevo esse primeiro texto para o Gramaticando.



Antes de tudo, sou Ivan Perina, ex-aluno da Oficina do Estudante, cursinho que me ajudou muito a ser aprovado na UNICAMP. Agora estou de volta a ele, mas dessa vez lecionando Língua Portuguesa e escrevendo aqui para vocês.



Nessa primeira semana, abordaremos um tema que muitos têm dúvida: qual a diferença entre os quatro “porquês” do nosso idioma e quando devo utilizar cada um deles?



Essa dúvida é recorrente nos plantões de dúvidas do cursinho e a resposta é bem simples.
Por que



O primeiro tipo é o “separado e sem acento”. Basicamente ele é composto pela preposição por e o pronome interrogativo que e é sinônimo da expressão por qual razão e é empregado em PERGUNTAS, como “Por que você faltou ontem?”



Ele ainda possui um segundo uso mais incomum, quando é formado pela preposição por e o pronome relativo que. Esse é sinônimo de PELO QUAL, visto em “sei bem por que faltou”.



Porque



O segundo é o “junto e sem acento”. Diferentemente do outro, temos agora uma conjunção causal explicativa, ou seja, relaciona fatos a fim de justificar algo, sendo utilizado em RESPOSTAS, como em “Faltei ontem porque estava doente” (repare que ele ligou a informação da falta e o motivo dela).



Por quê



Como terceiro temos o “separado com acento” que também é idêntico ao primeiro morfologicamente (preposição por e pronome interrogativo que). Também deve ser usado em PERGUNTAS, com a diferença é que o pronome QUE deve ser acentuado caso apareça SEGUIDO POR UM SINAL DE PONTUAÇÃO (o motivo disso será discutido futuramente em outra semana). Um exemplo existe na frase “Você faltou ontem por quê?” (repare que existe sinal de pontuação após o pronome interrogativo, causando o acento).

Porquê



O quarto e último tipo, diferentemente dos outros, é um substantivo e é sinônimo de RAZÃO, sendo usado sempre nesse sentido. Quase sempre ele vem acompanhado por algum artigo, como em “O porquê da minha falta foi minha doença” (repare que esse porquê é sinônimo de razão/motivo e veio junto ao artigo definido O).



Juntando todos em uma conversação normal, teríamos:



- Por que matemática é tão difícil???

- Difícil só se for pra você. Posso imaginar por que pensa isso. Deve ser porque você prefere humanas a exatas e, normalmente, vocês não entendem a magia dos números.

- Nossa, você diz isso por quê? Aposto que o porquê desse mal-humor é que foi mal na redação.

- Deixa pra lá... Vamos estudar que ganhamos mais.



Espero que essa explicação tenha sido válida. Ficou alguma dúvida? Surgiu outra? Não fique com ela, mande um e-mail para nós que ela será respondida.



Obrigado pela atenção, um beijo no coração e até a próxima!



Ivan Perina, Professor de Língua Portuguesa, Graduando em Letras da UNICAMP