Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

UnB divulga aprovados no vestibular

12 de Julho de 2016

A Universidade de Brasília (UnB) divulgou nesta segunda-feira (11) a lista de estudantes aprovados no Vestibular 2016. As provas foram feitas em 8 e 9 de junho, e as aulas têm previsão para começar em 8 de agosto. Os candidatos podem conferir os nomes na página do Cespe ou em mural posicionado na entrada central norte do Instituto Central de Ciências (ICC), no campus Darcy Ribeiro.

Durante a divulgação, a universidade também lança a campanha "UnB Diversa e Plural", como parte do acolhimento dos novos calouros. A ideia da iniciativa é incentivar o respeito, diálogo e convivência pacífica no campi. Ao longo do primeiro semestre de 2016, a UnB registrou casos de intolerância no ambiente acadêmico envolvendo alunos e professores.
Aprovados na primeira chamada deverão comparecer à UnB entre quinta (14) e sexta (15) para confirmar o registro de matrícula, nos Postos Avançados da Secretaria de Administração Acadêmica (SAA/UnB). A lista com os locais dos pontos para efetivação da matrícula podem ser encontradas no site da SAA.

Os estudantes devem apresentar identidade, certificado de alistamento militar (para alunos do sexo masculino), título de eleitor com comprovante de votação ou justificativa, histórico escolar do ensino médio e certificado original de conclusão do ensino médio.

Os aprovados que não comparecerem para efetivar o registro no prazo estabelecido ou não apresentaram a documentação completa vão perdem a vaga na UnB. Quem não puder ir ao local para fazer registro acadêmico pode entregar toda a documentação e uma procuração simples – feita a mão e sem reconhecimento de firma – para que outra pessoa possa fazer o registro.

Quem já for aluno da UnB só pode fazer o registro no novo curso mediante a desistência do curso anterior. Apenas após a confirmação do novo registro, a vaga remanescente é adicionada ao conjunto de vagas disponíveis para as eventuais chamadas seguintes.

Diversa e plural
Diferentemente dos semestres anteriores, a campanha "UnB diversa e plural" deve se estender ao longo de todo o semestre para debater a tolerância e o respeito entre os membros da comunidade acadêmica.
"É o convívio respeitoso da diversidade e da pluralidade que tornam a Universidade de Brasília uma instituição única. Com diferentes características políticas, ideológicas, sociais, étnicas, religiosas, raciais, regionais, de identidade de gênero e de orientação sexual convivendo lado a lado", diz o material de divulgado enviado ao G1 pela UnB.

Em janeiro foi criado um site com um “guia” de como estuprar mulheres na universidade. Chamado de “Reis do Camarote”, o site publicou um artigo que diz que o homem, branco, superior, deve frequentar grupos feministas, escolher uma vítima e abusá-la com violência.

Em março, a estudante de biologia Louise Ribeiro foi assassinada por Vínicius Neres no laboratório do Instituto de Biologia, dentro do campus.
O rapaz alegou ter tido um "ataque de fúria" no momento em que a vítima foi abraçá-lo. Nesse momento ele a dopou com clorofórmio e cometeu o crime.

Alunos do curso de relações internacionais da UnB criaram no dia 4 de junho uma página em rede social para divulgar casos de racismo, machismo, elitismo e outros tipos de preconceito vividos em sala de aula. Nas postagens anônimas, os estudantes citam episódios de assédio moral protagonizados por professores e gestores da graduação.

Três dias depois, estudantes trocaram socos e pontapés por conta de opiniões contrárias a respeito de uma possível paralisação de professores no segundo semestre caso a presidente afastada, Dilma Rousseff, não retornasse ao cargo.

No dia 17 de junho, um grupo contrário à política de cotas e apoiador do juiz federal Sérgio Moro atacou com ofensas homofóbicas dois estudantes que saíam da universidade. A dupla alega ter sido alvo de xingamentos, ameaça de agressão e que foi perseguida por um motociclista quanto tentaram fugir.

Fonte: G1

A Universidade de Brasília (UnB) divulgou nesta segunda-feira (11) a lista de estudantes aprovados no Vestibular 2016. As provas foram feitas em 8 e 9 de junho, e as aulas têm previsão para começar em 8 de agosto. Os candidatos podem conferir os nomes na página do Cespe ou em mural posicionado na entrada central norte do Instituto Central de Ciências (ICC), no campus Darcy Ribeiro.

Durante a divulgação, a universidade também lança a campanha "UnB Diversa e Plural", como parte do acolhimento dos novos calouros. A ideia da iniciativa é incentivar o respeito, diálogo e convivência pacífica no campi. Ao longo do primeiro semestre de 2016, a UnB registrou casos de intolerância no ambiente acadêmico envolvendo alunos e professores.
Aprovados na primeira chamada deverão comparecer à UnB entre quinta (14) e sexta (15) para confirmar o registro de matrícula, nos Postos Avançados da Secretaria de Administração Acadêmica (SAA/UnB). A lista com os locais dos pontos para efetivação da matrícula podem ser encontradas no site da SAA.

Os estudantes devem apresentar identidade, certificado de alistamento militar (para alunos do sexo masculino), título de eleitor com comprovante de votação ou justificativa, histórico escolar do ensino médio e certificado original de conclusão do ensino médio.

Os aprovados que não comparecerem para efetivar o registro no prazo estabelecido ou não apresentaram a documentação completa vão perdem a vaga na UnB. Quem não puder ir ao local para fazer registro acadêmico pode entregar toda a documentação e uma procuração simples – feita a mão e sem reconhecimento de firma – para que outra pessoa possa fazer o registro.

Quem já for aluno da UnB só pode fazer o registro no novo curso mediante a desistência do curso anterior. Apenas após a confirmação do novo registro, a vaga remanescente é adicionada ao conjunto de vagas disponíveis para as eventuais chamadas seguintes.

Diversa e plural
Diferentemente dos semestres anteriores, a campanha "UnB diversa e plural" deve se estender ao longo de todo o semestre para debater a tolerância e o respeito entre os membros da comunidade acadêmica.
"É o convívio respeitoso da diversidade e da pluralidade que tornam a Universidade de Brasília uma instituição única. Com diferentes características políticas, ideológicas, sociais, étnicas, religiosas, raciais, regionais, de identidade de gênero e de orientação sexual convivendo lado a lado", diz o material de divulgado enviado ao G1 pela UnB.

Em janeiro foi criado um site com um “guia” de como estuprar mulheres na universidade. Chamado de “Reis do Camarote”, o site publicou um artigo que diz que o homem, branco, superior, deve frequentar grupos feministas, escolher uma vítima e abusá-la com violência.

Em março, a estudante de biologia Louise Ribeiro foi assassinada por Vínicius Neres no laboratório do Instituto de Biologia, dentro do campus.
O rapaz alegou ter tido um "ataque de fúria" no momento em que a vítima foi abraçá-lo. Nesse momento ele a dopou com clorofórmio e cometeu o crime.

Alunos do curso de relações internacionais da UnB criaram no dia 4 de junho uma página em rede social para divulgar casos de racismo, machismo, elitismo e outros tipos de preconceito vividos em sala de aula. Nas postagens anônimas, os estudantes citam episódios de assédio moral protagonizados por professores e gestores da graduação.

Três dias depois, estudantes trocaram socos e pontapés por conta de opiniões contrárias a respeito de uma possível paralisação de professores no segundo semestre caso a presidente afastada, Dilma Rousseff, não retornasse ao cargo.

No dia 17 de junho, um grupo contrário à política de cotas e apoiador do juiz federal Sérgio Moro atacou com ofensas homofóbicas dois estudantes que saíam da universidade. A dupla alega ter sido alvo de xingamentos, ameaça de agressão e que foi perseguida por um motociclista quanto tentaram fugir.

Fonte: G1