Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Como revisar Matemática para o Enem

20 de Outubro de 2016

O fim de semana mais importante do ano para muita gente está batendo à porta. Nos dias 5 e 6 de novembro, mais de oito milhões de estudantes farão o Enem, que dá acesso à maior parte das universidades do país.

Se você está preocupado com a quantidade de conteúdo que precisa revisar (afinal, 180 questões e uma redação não é pouca coisa!), separamos as recomendações de professores de alguns dos melhores colégios e cursinhos para você se preparar bem na reta final.

Veja, abaixo, nossas dicas para Matemática e suas Tecnologias, prova que será aplicada no dia 6 de novembro (domingo).

Como são as questões

Como toda a prova do Enem, a prova de matemática tem muita contextualização e textos longos. Para o professor Bruno Ramos, “é muita informação para o estudante ler, num momento em que esteja nervoso”, ao que recomenda ler primeiro a pergunta para depois passar ao texto, assim, saberá quais informações são mais relevantes.

Já o professor Willian Bala acrescenta que é preciso tomar cuidado com o tempo: “leia a questão atentamente, grife e circule as informações relevantes de forma que não seja necessário reler todo o texto várias vezes. O tempo corre e o vestibulando precisa de macetes para driblá-lo”, explica.

Como estudar na reta final e apostas para o exame

“Nos últimos anos, a prova vem ganhando um caráter mais conteudista, quando antes era muito mais voltada à interpretação”, explica o professor Rodolfo Borges, do Colégio Oficina do Estudante, de Campinas (SP). Questões com temas mais complexos, como logaritmo, vêm ganhando espaço. Mas o professor acrescenta que, mesmo assim, o caráter interpretativo ainda é dominante. Por isso, “a prova é muito diferente das outras. Ir bem na Unicamp ou na Fuvest não significa ir bem no Enem. O que eu sugiro é treinar muito com simulados e investir nos conteúdos que mais caem”, diz. Mas é preciso cuidado! “Como a prova modifica a cada ano, trabalhar em cima de anos distantes não é a melhor saída, mas as últimas provas permitem uma noção boa de como será a deste ano”, ressalta Bruno Ramos.

Para estudar, recomenda-se usar fichas-resumo com definições e fórmulas de cada tópico. “Procure quatro exercícios de cada assunto, já utilizados em provas anteriores: um fácil, um difícil e dois com nível elevado para fazer com que você se sinta confortável e familiarizado com os temas”, aponta Willian Bala. Já na última semana, aposte apenas em revisão dos assuntos que já domina.

Nas apostas para este ano, é improvável que haja alguma mudança muito radical no que vem sendo feito. Os temas mais recorrentes devem marcar presença novamente: geometria, proporção e estatística, com bastantes imagens, interpretação de funções e gráficos, porcentagens, análise combinatória e probabilidade.

Fonte: Ana Lourenço/ Guia do Estudante

O fim de semana mais importante do ano para muita gente está batendo à porta. Nos dias 5 e 6 de novembro, mais de oito milhões de estudantes farão o Enem, que dá acesso à maior parte das universidades do país.

Se você está preocupado com a quantidade de conteúdo que precisa revisar (afinal, 180 questões e uma redação não é pouca coisa!), separamos as recomendações de professores de alguns dos melhores colégios e cursinhos para você se preparar bem na reta final.

Veja, abaixo, nossas dicas para Matemática e suas Tecnologias, prova que será aplicada no dia 6 de novembro (domingo).

Como são as questões

Como toda a prova do Enem, a prova de matemática tem muita contextualização e textos longos. Para o professor Bruno Ramos, “é muita informação para o estudante ler, num momento em que esteja nervoso”, ao que recomenda ler primeiro a pergunta para depois passar ao texto, assim, saberá quais informações são mais relevantes.

Já o professor Willian Bala acrescenta que é preciso tomar cuidado com o tempo: “leia a questão atentamente, grife e circule as informações relevantes de forma que não seja necessário reler todo o texto várias vezes. O tempo corre e o vestibulando precisa de macetes para driblá-lo”, explica.

Como estudar na reta final e apostas para o exame

“Nos últimos anos, a prova vem ganhando um caráter mais conteudista, quando antes era muito mais voltada à interpretação”, explica o professor Rodolfo Borges, do Colégio Oficina do Estudante, de Campinas (SP). Questões com temas mais complexos, como logaritmo, vêm ganhando espaço. Mas o professor acrescenta que, mesmo assim, o caráter interpretativo ainda é dominante. Por isso, “a prova é muito diferente das outras. Ir bem na Unicamp ou na Fuvest não significa ir bem no Enem. O que eu sugiro é treinar muito com simulados e investir nos conteúdos que mais caem”, diz. Mas é preciso cuidado! “Como a prova modifica a cada ano, trabalhar em cima de anos distantes não é a melhor saída, mas as últimas provas permitem uma noção boa de como será a deste ano”, ressalta Bruno Ramos.

Para estudar, recomenda-se usar fichas-resumo com definições e fórmulas de cada tópico. “Procure quatro exercícios de cada assunto, já utilizados em provas anteriores: um fácil, um difícil e dois com nível elevado para fazer com que você se sinta confortável e familiarizado com os temas”, aponta Willian Bala. Já na última semana, aposte apenas em revisão dos assuntos que já domina.

Nas apostas para este ano, é improvável que haja alguma mudança muito radical no que vem sendo feito. Os temas mais recorrentes devem marcar presença novamente: geometria, proporção e estatística, com bastantes imagens, interpretação de funções e gráficos, porcentagens, análise combinatória e probabilidade.

Fonte: Ana Lourenço/ Guia do Estudante