Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Interdisciplinar de verdade, prova da Unicamp cita Mariana

22 de Novembro de 2016

SÃO PAULO - O vestibulando que prestou a primeira fase do processo seletivo para a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) neste domingo (20) encontrou uma prova bem elaborada e verdadeiramente interdisciplinar. Esta foi a avaliação do professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, de Campinas.

"Foi uma prova muito bem feita, muito melhor do que a do ano passado. Fiquei positivamente surpreso, porque esperava uma prova meia-boca como nos anos anteriores, e não foi", comenta ele. "A prova foi bem elaborada e cheia de questões interdisciplinares verdadeiramente interdisciplinares, destas que o aluno realmente precisa mobilizar conhecimento de duas disciplinas para resolver a questão."

Tasinafo cita dois exemplos. Em determinada questão, um poema contemporâneo do português João Paiva - conhecido por escrever versos a partir de temas científicos - serviu para o aluno tratar tanto de Química quanto de Literatura. A tragédia ambiental de Mariana, que ocorreu há um ano, também foi mote de uma questão interdisciplinar, na qual os vestibulandos precisavam recorrer a conhecimentos de Geografia e de Química.

"Para o aluno, foi uma prova certamente mais difícil", completa Tasinafo.

SÃO PAULO - O vestibulando que prestou a primeira fase do processo seletivo para a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) neste domingo (20) encontrou uma prova bem elaborada e verdadeiramente interdisciplinar. Esta foi a avaliação do professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, de Campinas.

"Foi uma prova muito bem feita, muito melhor do que a do ano passado. Fiquei positivamente surpreso, porque esperava uma prova meia-boca como nos anos anteriores, e não foi", comenta ele. "A prova foi bem elaborada e cheia de questões interdisciplinares verdadeiramente interdisciplinares, destas que o aluno realmente precisa mobilizar conhecimento de duas disciplinas para resolver a questão."

Tasinafo cita dois exemplos. Em determinada questão, um poema contemporâneo do português João Paiva - conhecido por escrever versos a partir de temas científicos - serviu para o aluno tratar tanto de Química quanto de Literatura. A tragédia ambiental de Mariana, que ocorreu há um ano, também foi mote de uma questão interdisciplinar, na qual os vestibulandos precisavam recorrer a conhecimentos de Geografia e de Química.

"Para o aluno, foi uma prova certamente mais difícil", completa Tasinafo.