Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Enem de dezembro: redação teve foco no combate ao racismo no Brasil

06 de Dezembro de 2016

A nova aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 abordou em sua redação um tema ainda presente na sociedade brasileira: o racismo. Dos inscritos, 160.192 participantes compareceram ao segundo dia de provas, 4 de dezembro, e tiveram que desenvolver um texto com a proposta "Os caminhos para combater o racismo no Brasil".

Segundo o diretor pedagógico do curso e colégio Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, o tema proposto neste Enem segue a mesma linha do conceito das provas aplicadas em novembro, o qual foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil".

Em ambos os casos, o objetivo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) é de que o estudante tenha em mente como combater o problema, já que está implícito que existe a intolerância religiosa e o racismo. Muitos participantes se perdem ao escrever sobre o que é o tema tratado, mas não percebem o foco e a necessidade de propor uma solução.

É importante que o estudante que faz o Enem tenha em mente que toda redação pedirá uma proposta de intervenção, ou seja, que o participante proponha algo para resolver o problema apresentado, sempre respeitando os Direitos Humanos. Esta parte da dissertação vale 200 pontos, se o participante não propor algo, já perde tal pontuação de cara e não consegue alcançar a tão desejada nota mil.

Fonte: Brasil Escola


A nova aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 abordou em sua redação um tema ainda presente na sociedade brasileira: o racismo. Dos inscritos, 160.192 participantes compareceram ao segundo dia de provas, 4 de dezembro, e tiveram que desenvolver um texto com a proposta "Os caminhos para combater o racismo no Brasil".

Segundo o diretor pedagógico do curso e colégio Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, o tema proposto neste Enem segue a mesma linha do conceito das provas aplicadas em novembro, o qual foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil".

Em ambos os casos, o objetivo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) é de que o estudante tenha em mente como combater o problema, já que está implícito que existe a intolerância religiosa e o racismo. Muitos participantes se perdem ao escrever sobre o que é o tema tratado, mas não percebem o foco e a necessidade de propor uma solução.

É importante que o estudante que faz o Enem tenha em mente que toda redação pedirá uma proposta de intervenção, ou seja, que o participante proponha algo para resolver o problema apresentado, sempre respeitando os Direitos Humanos. Esta parte da dissertação vale 200 pontos, se o participante não propor algo, já perde tal pontuação de cara e não consegue alcançar a tão desejada nota mil.

Fonte: Brasil Escola