Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Vestibular 2018 da UERJ está mantido, apesar da crise

13 de Julho de 2017

Marcado para o próximo domingo, 16 de julho, o vestibular da Uerj – Universidade Estadual do Rio de Janeiro - teve a menor procura da história da instituição. O número de estudantes interessados na universidade estadual do Rio caiu mais da metade.

Este ano, a universidade registrou 39 mil inscrições enquanto, em 2016, foram 82 mil estudantes inscritos. Apesar do atraso dos salários dos professores e da falta de repasse financeiro ameaçar o início do próximo semestre letivo, o vestibular de domingo está mantido.

Para o diretor do Vestibular da Uerj, o professor Gustavo Krause cancelar o exame só pioraria a situação da universidade.

Mas, segundo a presidente da Associação de Docentes da Uerj Lia Rocha, a falta de salários e recursos dificulta até pensar na sobrevivência da universidade em 2018.

Na última quinta-feira, professores decidiram em assembleia iniciar greve no dia 1º de agosto caso os pagamentos não sejam normalizados.

A reitoria da Uerj, ao lado dos reitores do Centro Universitário da Zona Oeste e da Universidade do Norte Fluminense, também afirmou que não há condições de retomar as aulas em agosto.

O segundo semestre relativo ao ano de 2016 da Uerj está sendo finalizado agora em julho.

Por Joana Moscatelli/ EBC

Marcado para o próximo domingo, 16 de julho, o vestibular da Uerj – Universidade Estadual do Rio de Janeiro - teve a menor procura da história da instituição. O número de estudantes interessados na universidade estadual do Rio caiu mais da metade.

Este ano, a universidade registrou 39 mil inscrições enquanto, em 2016, foram 82 mil estudantes inscritos. Apesar do atraso dos salários dos professores e da falta de repasse financeiro ameaçar o início do próximo semestre letivo, o vestibular de domingo está mantido.

Para o diretor do Vestibular da Uerj, o professor Gustavo Krause cancelar o exame só pioraria a situação da universidade.

Mas, segundo a presidente da Associação de Docentes da Uerj Lia Rocha, a falta de salários e recursos dificulta até pensar na sobrevivência da universidade em 2018.

Na última quinta-feira, professores decidiram em assembleia iniciar greve no dia 1º de agosto caso os pagamentos não sejam normalizados.

A reitoria da Uerj, ao lado dos reitores do Centro Universitário da Zona Oeste e da Universidade do Norte Fluminense, também afirmou que não há condições de retomar as aulas em agosto.

O segundo semestre relativo ao ano de 2016 da Uerj está sendo finalizado agora em julho.

Por Joana Moscatelli/ EBC