Info-bixo

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Vestibular da UFPR terá sociologia e filosofia a partir de 2018

02 de Agosto de 2017

Por Gazeta do Povo

O vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR) vai passar por mudanças a partir do ano que vem. O processo seletivo que vai definir os calouros de 2019 passará a incluir questões de Sociologia e Filosofia nas provas da primeira fase do vestibular. Com isso, a prova terá 90 questões ao invés das tradicionais 80.

O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (01) após decisão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da universidade. Segundo o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, a mudança será válida apenas a partir do ano que vem para não prejudicar os estudantes que já estão se preparando para prestar vestibular no próximo mês de outubro.

“Não podemos fazer a inclusão de novas disciplinas a poucos meses do vestibular, quando os candidatos já estão se preparando sem essa informação”, diz. “Temos uma responsabilidade imensa com a comunidade e não podemos surpreendê-la com algo que neste momento poderia ter impacto pedagógico negativo”.

Por Gazeta do Povo

O vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR) vai passar por mudanças a partir do ano que vem. O processo seletivo que vai definir os calouros de 2019 passará a incluir questões de Sociologia e Filosofia nas provas da primeira fase do vestibular. Com isso, a prova terá 90 questões ao invés das tradicionais 80.

O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (01) após decisão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da universidade. Segundo o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, a mudança será válida apenas a partir do ano que vem para não prejudicar os estudantes que já estão se preparando para prestar vestibular no próximo mês de outubro.

“Não podemos fazer a inclusão de novas disciplinas a poucos meses do vestibular, quando os candidatos já estão se preparando sem essa informação”, diz. “Temos uma responsabilidade imensa com a comunidade e não podemos surpreendê-la com algo que neste momento poderia ter impacto pedagógico negativo”.