• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Orientação Vocacional

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Quem pode auxiliar na escolha profissional?

03 de Janeiro de 2011

A orientadora de carreira Daniela Leluddak fala aos leitores do portal do cursinho pré-vestibular Oficina do Estudante sobre quem pode auxiliar o aluno na escolha profissional. A coach escreve quinzenalmente sobre assuntos relacionados ao vestibular.

Essa é uma pergunta que invade a mente de pais e estudantes, constantemente, quando se trata de auxiliar na escolha do caminho a percorrer para o desenvolvimento profissional no final do ensino médio.

Percebemos que muitas vezes os estudantes têm muitas duvidas sobre que carreira escolher e sentem-se num beco sem saída. Muitos podem ficar paralisados, o que pode, inclusive, interferir na sequencia dos estudos da preparação para o vestibular.
O estudante fica numa encruzilhada, todavia, não precisaria ser assim.

A recomendação é que a escolha profissional seja um processo que se inicia muito antes de um terceiro ano do ensino médio.
Dito isso, atualmente é possível encontrar profissionais especializados em diferentes áreas e serviços que se disponibilizam a ajudar os vestibulandos.

Clinicas de Psicologia, Centros de Orientação em Universidades, Profissionais Liberais (ligados a área de psicologia, pedagogia, coachs...) e Associações vinculadas ao governo são algumas das fontes em que podem ser recorridas para o auxilio na escolha profissional.

Geralmente são apresentadas propostas de trabalho em grupo e individuais que incluem entrevistas, dinâmicas, aplicação de testes, atividades escritas e práticas, visitas a profissionais e feiras de profissões presentes no mercado. De modo geral esse trabalho é apresentado com encontros semanais e que podem variar de 5 a 15 sessões, de uma a duas horas.

Atividades de reflexão para elaboração e construção dessa escolha é o objetivo deste tipo de trabalho, que pode ser iniciado, como disse antes do final do ensino médio e com a presença de familiares e amigos, dependendo de cada caso.
A orientação profissional pode ser feita também de forma presencial ou mesmo via web, facilitando o entrosamento com vestibulandos que estão presentes em varias partes do Brasil.

É importante frisar que, em geral, o que o estudante vai receber é um parecer mais claro sobre seus interesses e habilidades e uma visão mais ampla sobre as opções de cursos no mercado, e que lhe estimularão a tirar suas próprias duvidas e chegar a conclusão do curso a ser escolhido. É necessário esclarecer que ao final do trabalho o estudante não receberá um veredicto final do curso a ser seguido, mas como disse, lhe favorecerá a ampliar o campo de possibilidades, o que lhe permitirá uma escolha mais adequada a suas próprias características.

Algumas indicações são esperadas que sejam oferecidas, o que permite ao estudante ter um estimulo para a escolha do caminho a ser seguido.
Certa vez, uma estudante em trabalho comigo, mesmo apresentando muitas habilidades para medicina e a família a estimulando para tal área, ela optou por um curso de administração e tendo noticias dela até hoje, considera-se muito satisfeita com a escolha. Inclusive, pelo fato, de já estar iniciando alguns estágios e segundo ela, estar realizando o que realmente gosta.

Casos como esse são freqüentes!

Outros casos, também freqüentes, são de estudantes que mesmo tendo seguido a área que haviam definido para o vestibular e expressando uma decisão inabalável, optaram no decorrer do curso a iniciar a busca por outra área, visto não terem se identificado, na pratica, com a primeira opção.

Sendo assim entendemos que estar disponível para escolher e rever suas escolhas pode e é uma das atitudes que tem auxiliado a muitos a continuar no caminho em busca da satisfação pessoal.

Em que momento você?

Já tem claro em que área você vai empregar parte do seu tempo?
Para começar: você sabe quais são suas habilidades? No que você se destaca?

Essas são perguntas que permeiam os trabalhos de orientação profissional e acreditem, tendem a nos acompanhar no resto de nossas carreiras.

Uma frase dita por um pai certa vez, fez muito sentido para mim: você vai iniciar um carreira em determinada área e não necessariamente terminar nela.

Boa reflexão e até a próxima!

Daniela Leluddak www.caddanbrasil.org.br

www.oficinadoestudante.com.br

A orientadora de carreira Daniela Leluddak fala aos leitores do portal do cursinho pré-vestibular Oficina do Estudante sobre quem pode auxiliar o aluno na escolha profissional. A coach escreve quinzenalmente sobre assuntos relacionados ao vestibular.

Essa é uma pergunta que invade a mente de pais e estudantes, constantemente, quando se trata de auxiliar na escolha do caminho a percorrer para o desenvolvimento profissional no final do ensino médio.

Percebemos que muitas vezes os estudantes têm muitas duvidas sobre que carreira escolher e sentem-se num beco sem saída. Muitos podem ficar paralisados, o que pode, inclusive, interferir na sequencia dos estudos da preparação para o vestibular.
O estudante fica numa encruzilhada, todavia, não precisaria ser assim.

A recomendação é que a escolha profissional seja um processo que se inicia muito antes de um terceiro ano do ensino médio.
Dito isso, atualmente é possível encontrar profissionais especializados em diferentes áreas e serviços que se disponibilizam a ajudar os vestibulandos.

Clinicas de Psicologia, Centros de Orientação em Universidades, Profissionais Liberais (ligados a área de psicologia, pedagogia, coachs...) e Associações vinculadas ao governo são algumas das fontes em que podem ser recorridas para o auxilio na escolha profissional.

Geralmente são apresentadas propostas de trabalho em grupo e individuais que incluem entrevistas, dinâmicas, aplicação de testes, atividades escritas e práticas, visitas a profissionais e feiras de profissões presentes no mercado. De modo geral esse trabalho é apresentado com encontros semanais e que podem variar de 5 a 15 sessões, de uma a duas horas.

Atividades de reflexão para elaboração e construção dessa escolha é o objetivo deste tipo de trabalho, que pode ser iniciado, como disse antes do final do ensino médio e com a presença de familiares e amigos, dependendo de cada caso.
A orientação profissional pode ser feita também de forma presencial ou mesmo via web, facilitando o entrosamento com vestibulandos que estão presentes em varias partes do Brasil.

É importante frisar que, em geral, o que o estudante vai receber é um parecer mais claro sobre seus interesses e habilidades e uma visão mais ampla sobre as opções de cursos no mercado, e que lhe estimularão a tirar suas próprias duvidas e chegar a conclusão do curso a ser escolhido. É necessário esclarecer que ao final do trabalho o estudante não receberá um veredicto final do curso a ser seguido, mas como disse, lhe favorecerá a ampliar o campo de possibilidades, o que lhe permitirá uma escolha mais adequada a suas próprias características.

Algumas indicações são esperadas que sejam oferecidas, o que permite ao estudante ter um estimulo para a escolha do caminho a ser seguido.
Certa vez, uma estudante em trabalho comigo, mesmo apresentando muitas habilidades para medicina e a família a estimulando para tal área, ela optou por um curso de administração e tendo noticias dela até hoje, considera-se muito satisfeita com a escolha. Inclusive, pelo fato, de já estar iniciando alguns estágios e segundo ela, estar realizando o que realmente gosta.

Casos como esse são freqüentes!

Outros casos, também freqüentes, são de estudantes que mesmo tendo seguido a área que haviam definido para o vestibular e expressando uma decisão inabalável, optaram no decorrer do curso a iniciar a busca por outra área, visto não terem se identificado, na pratica, com a primeira opção.

Sendo assim entendemos que estar disponível para escolher e rever suas escolhas pode e é uma das atitudes que tem auxiliado a muitos a continuar no caminho em busca da satisfação pessoal.

Em que momento você?

Já tem claro em que área você vai empregar parte do seu tempo?
Para começar: você sabe quais são suas habilidades? No que você se destaca?

Essas são perguntas que permeiam os trabalhos de orientação profissional e acreditem, tendem a nos acompanhar no resto de nossas carreiras.

Uma frase dita por um pai certa vez, fez muito sentido para mim: você vai iniciar um carreira em determinada área e não necessariamente terminar nela.

Boa reflexão e até a próxima!

Daniela Leluddak www.caddanbrasil.org.br

www.oficinadoestudante.com.br

Conheça outras atividades

Saiba Mais