Orientação Vocacional

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Escolhas: Isso parece difícil para você?

28 de Setembro de 2011

Para você e para todos nós, as escolhas podem ser difíceis, penosas e incômodas.
Em toda a história da humanidade, escolher sempre esteve envolto por algumas reações como medo, dúvida, impasse e por aí vai.

Muitos estudantes, mesmo na fase final do terceiro ano do ensino médio, estão justamente passando por essas sensações, visto não terem ainda escolhido para qual curso devem se inscrever no vestibular.

A pressão fica ainda maior quando as inscrições em muitas das instituições começam a se encerrar.

Mas lembre-se, a vida é feita de escolhas sempre!!!!

Dito isto, a possibilidade para lhe tirar desse desconforto, caso você esteja nele, é encará-lo de frente. Resolva esse impasse de uma vez e fique mais leve para conduzir esse período de preparação para as provas dos simulados e do próprio vestibular.

Vamos a algumas dicas importantes para esse período:

Primeiro: Tome a decisão, de uma vez por todas, de ir conversar com alguém sobre o impasse de qual curso você deve se inscrever. Lembre-se: adiar isso é sofrimento na certa e existem profissionais especializados para lhe ajudar nesse momento.

Segundo: Caso você persista em não procurar alguém para lhe ajudar, pegue um papel agora e relacione todas as suas características, sim, aquelas que você julga serem as suas melhores e aquelas que você julgue as piores. Está difícil fazer isso sozinho? É difícil mesmo! Mas não desista! Nada lhe vem à cabeça? Vamos lá, tente! Mas lembre-se sempre, você pode voltar para a primeira dica, caso ache isso difícil e fique de fato sem saída. Eis uma das explicações para existirem profissionais que tem como especialidade orientação profissional.

Terceira: Vamos lá! Quais os cursos que lhe chamam a atenção? Não adianta dizer que não tem nenhuma opinião a esse respeito. Lembre-se, você está na fase de fazer algumas escolhas, nem que seja apenas entre você e você.
Arrisque um pouco e coloque os nomes dos cursos em uma folha, vá permitindo-se ousar um pouco mais. Tente olhar para as características que você colocou na dica #2 e tente fazer um casamento com os cursos existentes. Isso mesmo, tem que estudar um pouco sobre isso. Do contrário, você não vai sair do impasse em que você está.

Quarto: Mesmo você preferindo não conversar com ninguém pessoalmente procure nos diversos sites existentes alguém que possa lhe ajudar nesse momento.
Seguem algumas sugestões como www.oestudante.com.br e guiadoestudante.abril.com.br. Esses são alguns deles. Ou mesmo, se preferir, mande suas duvidas para nós no www.caddanbrasil.org.br e podemos, quem sabe, auxiliá-lo em algumas delas.

Quinto: Existem para você pessoas ou profissionais que lhe chamam a atenção pelas atividades e profissões que realizam? Coloque isso no papel também. Faça uma comparação com as suas habilidades e características. Esse exercício é para expandir um pouco a sua forma de pensar sobre esse assunto e acredite, dá certo. Ou, pelo menos, vai lhe permitir sair um pouco das poucas ou da ausência de alternativas para esse momento de escolha na vida.

Sexto: Feito isso, tente fazer uma escolha, mas lembre-se, ela pode ser redirecionada no futuro, se você assim desejar.

A forma colocada acima pode ser considerada simplista para alguns e teve essa finalidade ao ser retratada aqui, pois de fato, temos partir de algum ponto.

Observo no meu trabalho com os jovens que muitos estão preocupados com esse momento que antecede a conclusão do ensino médio, pois, simplesmente culmina com as várias escolhas que temos que nos deparar na vida, mais cedo ou mais tarde.

Esse momento é o primeiro de muitos e não me canso de falar e escrever sobre isso. E acredito muito que os impasses poderiam ser minimizados se fossem trabalhados com o auxílio de profissionais que têm como foco esses momentos como: orientadores profissionais, coachs, psicólogos e por aí vai.

Como disse Wayne Gretzky (Campeão norte-americano de hóquei) você erra 100% dos chutes que não dá.


Boa escolha!!!


Daniela Leluddak é orientadora de carreira, palestrante, consultora e coach. Atua no mercado nacional e internacional e tem como foco na carreira profissional o desenvolvimento de pessoas. É presidente da Caddan Brasil, uma associação civil de interesse público, especializada na Orientação de Carreira. Para contato: daniela@caddan.org.br / www.caddanbrasil.org.br


Para você e para todos nós, as escolhas podem ser difíceis, penosas e incômodas.
Em toda a história da humanidade, escolher sempre esteve envolto por algumas reações como medo, dúvida, impasse e por aí vai.

Muitos estudantes, mesmo na fase final do terceiro ano do ensino médio, estão justamente passando por essas sensações, visto não terem ainda escolhido para qual curso devem se inscrever no vestibular.

A pressão fica ainda maior quando as inscrições em muitas das instituições começam a se encerrar.

Mas lembre-se, a vida é feita de escolhas sempre!!!!

Dito isto, a possibilidade para lhe tirar desse desconforto, caso você esteja nele, é encará-lo de frente. Resolva esse impasse de uma vez e fique mais leve para conduzir esse período de preparação para as provas dos simulados e do próprio vestibular.

Vamos a algumas dicas importantes para esse período:

Primeiro: Tome a decisão, de uma vez por todas, de ir conversar com alguém sobre o impasse de qual curso você deve se inscrever. Lembre-se: adiar isso é sofrimento na certa e existem profissionais especializados para lhe ajudar nesse momento.

Segundo: Caso você persista em não procurar alguém para lhe ajudar, pegue um papel agora e relacione todas as suas características, sim, aquelas que você julga serem as suas melhores e aquelas que você julgue as piores. Está difícil fazer isso sozinho? É difícil mesmo! Mas não desista! Nada lhe vem à cabeça? Vamos lá, tente! Mas lembre-se sempre, você pode voltar para a primeira dica, caso ache isso difícil e fique de fato sem saída. Eis uma das explicações para existirem profissionais que tem como especialidade orientação profissional.

Terceira: Vamos lá! Quais os cursos que lhe chamam a atenção? Não adianta dizer que não tem nenhuma opinião a esse respeito. Lembre-se, você está na fase de fazer algumas escolhas, nem que seja apenas entre você e você.
Arrisque um pouco e coloque os nomes dos cursos em uma folha, vá permitindo-se ousar um pouco mais. Tente olhar para as características que você colocou na dica #2 e tente fazer um casamento com os cursos existentes. Isso mesmo, tem que estudar um pouco sobre isso. Do contrário, você não vai sair do impasse em que você está.

Quarto: Mesmo você preferindo não conversar com ninguém pessoalmente procure nos diversos sites existentes alguém que possa lhe ajudar nesse momento.
Seguem algumas sugestões como www.oestudante.com.br e guiadoestudante.abril.com.br. Esses são alguns deles. Ou mesmo, se preferir, mande suas duvidas para nós no www.caddanbrasil.org.br e podemos, quem sabe, auxiliá-lo em algumas delas.

Quinto: Existem para você pessoas ou profissionais que lhe chamam a atenção pelas atividades e profissões que realizam? Coloque isso no papel também. Faça uma comparação com as suas habilidades e características. Esse exercício é para expandir um pouco a sua forma de pensar sobre esse assunto e acredite, dá certo. Ou, pelo menos, vai lhe permitir sair um pouco das poucas ou da ausência de alternativas para esse momento de escolha na vida.

Sexto: Feito isso, tente fazer uma escolha, mas lembre-se, ela pode ser redirecionada no futuro, se você assim desejar.

A forma colocada acima pode ser considerada simplista para alguns e teve essa finalidade ao ser retratada aqui, pois de fato, temos partir de algum ponto.

Observo no meu trabalho com os jovens que muitos estão preocupados com esse momento que antecede a conclusão do ensino médio, pois, simplesmente culmina com as várias escolhas que temos que nos deparar na vida, mais cedo ou mais tarde.

Esse momento é o primeiro de muitos e não me canso de falar e escrever sobre isso. E acredito muito que os impasses poderiam ser minimizados se fossem trabalhados com o auxílio de profissionais que têm como foco esses momentos como: orientadores profissionais, coachs, psicólogos e por aí vai.

Como disse Wayne Gretzky (Campeão norte-americano de hóquei) você erra 100% dos chutes que não dá.


Boa escolha!!!


Daniela Leluddak é orientadora de carreira, palestrante, consultora e coach. Atua no mercado nacional e internacional e tem como foco na carreira profissional o desenvolvimento de pessoas. É presidente da Caddan Brasil, uma associação civil de interesse público, especializada na Orientação de Carreira. Para contato: daniela@caddan.org.br / www.caddanbrasil.org.br