• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp

Orientação Vocacional

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Qual a medida certa entre o estudo e o lazer?

19 de Outubro de 2011

O divertimento e o relaxamento são importantes para o indivíduo tornar-se mais resiliente. Resiliência é o nome dado a uma propriedade física em que um material pode ser deformado e volta a seu estado normal anterior a deformação. Hoje a Psicologia faz uso do termo resiliente para classificar uma pessoa que consegue passar por situações aversivas e se recuperar facilmente voltando ao seu estado físico e emocional “normal”. O que se observa na prática e em diversas pesquisas é que sair para se divertir na maioria dos casos aumenta a auto-estima, a auto confiança e a resiliência das pessoas. Assim dizendo, uma pessoa que tem um equilíbrio entre estudar e se divertir torna-se mais resiliente. Neste sentido, estudantes que vão prestar vestibular não precisam deixar de viver no ano de seu vestibular. Na medida certa, baladas, futebol com os amigos, academia, saídas para o cinema, festas, namoro e lazer só fazem bem, desde que não atrapalhe a rotina de estudos.

Um outro ponto importante é que o nosso cérebro é formado por neurônios (células nervosas) e que tais células sofrem da mesma fadiga que os nossos músculos (células musculares). Um indivíduo em uma academia de musculação, por exemplo, exercita por um tempo e depois relaxa, descansa a musculatura, seja durante o treinamento, seja após, caso o contrário ele pode se lesionar ou perder massa muscular por esforço repetitivo. Analogamente,

o nosso cérebro funciona da mesma forma, ele precisa de intervalos menores - entre os estudos - e alguns maiores - fim do dia ou um fim de semana - para manter um bom desempenho ou melhorá-lo (aumento do número de associações sinápticas) e evitar a fadiga.

A preparação para o vestibular exige, acima de tudo, dedicação nos momentos de estudo e diversão nas horas de lazer. Metade do tempo que o vestibulando tem livre, fora de uma sala de aula ou de uma cama, ele deveria aproveitar para se dedicar aos estudos da melhor maneira possível, realizando exercícios, tirando dúvidas, revisando o que já foi visto e fazendo anotações. A outra metade seria reservada para relaxar, praticar esportes, sair com os amigos e ir a festas ou baladas.

- Os pais podem ajudar a encontrar esse equilíbrio permitindo e proibindo certas coisas? De que forma eles podem ajudar?

Quando os estudantes estão se preparando para o vestibular, alguns pais exigem que seus filhos desprezem seus momentos de folga, deixem de sair com os amigos e de ir a festas. Agem de uma maneira equivocada, pois essa pressão e exigência prejudicam o desempenho.

Eles podem ajudar observando a rotina de estudos e a rotina de lazer e avaliar se estas rotinas estão muito discrepantes. Caso o filho esteja estudando demais e saindo pouco os pais devem estimular que eles participem de mais atividades sociais ou outras práticas de lazer que o vestibulando goste. Em contrapartida, se o filho estiver estudando de menos e saindo muito, os pais precisam criar condições e consequências de perdas durante a semana para que se tornem mais responsáveis e se esforcem mais. Por exemplo, “Se estudou sai, se não estudou não tem dinheiro para sair ou não sai.” Além disso, neste último caso, os pais precisam elogiar os esforços ou pontos positivos dos filhos para que aumente a rotina de estudos.

- Quais são as dicas para que o vestibulando encontre a medida certa?

A rotina dos vestibulandos costuma ser um verdadeiro treinamento de guerra. Provas semanais, simuladões exaustivos, aulas nos finais de semana, reforços extra-classe e resolução de centenas de exercícios num único dia são algumas das estratégias para assimilar o que ainda não foi aprendido. Entretanto, esta rotina exagerada pode atrapalhar. Para que o estresse não ocorra antes do tempo segue abaixo algumas dicas para o vestibulando:
1) O estudo deve ser organizado constantemente, e o lazer e descanso são fundamentais. O aluno precisa de pelo menos um dia na semana para se divertir e relaxar.
2) Fazer intervalos de descanso, ou seja, estudar duas horas e ficar de 20 a 30 minutos para relaxar. Neste momento o aluno pode conversar sobre assuntos irrelevantes com os amigos, levantar para andar um pouco, beber um suco, dar um telefonema etc.
3) Se exceder durante a semana com os estudos, permitir um momento maior de lazer e entretenimento no fim de semana para chegar renovado na segunda.
4) Se não costuma fazer atividades esportivas, pode andar de bicicleta ou patins, caminhar no parque, dançar etc. O que importa é por o corpo em movimento.
5) É sempre importante lembrar que os momentos de diversão com os amigos não são perda de tempo. Pelo contrário, eles são um investimento.
6) Descanso não significa apenas dormir, mas se divertir, fazer as coisas que você mais gosta e praticar exercícios físicos leves.
7) Evitar baladas até muito tarde e ir em dias certos - Estabelecer um horário para ir embora da balada ajuda a não atrapalhar o relógio biológico durante a semana. Além disso, dar preferência as baladas de sexta ou sábado a noite para não prejudicar o ritmo de estudos durante a semana.

Reginaldo do Carmo Aguiar é psicólogo clínico comportamental, analista do comportamento e estudioso das Neurociências.

Trabalha com orientação vocacional e trabalhos antiestresse para vestibulandos e concursandos.
Endereço da clínica: Rua Antônio Arruda Camargo, 195 (esta rua é paralela a Norte-Sul atrás do Mc Donalds) CEP: 13092-170.

Bairro: Nova Campinas Cidade: Campinas-SP

Entrar em contato pelo e-mail: psicopoesia@yahoo.com.br.

Blog: www.psicopoesia.blogspot.com/
Fone: (19) 32941005 e (19) 32526513


Oficina do Estudante
Cursinho Pré-Vestibular e Ensino Médio de Campinas
www.oficinadoestudante.com.br


O divertimento e o relaxamento são importantes para o indivíduo tornar-se mais resiliente. Resiliência é o nome dado a uma propriedade física em que um material pode ser deformado e volta a seu estado normal anterior a deformação. Hoje a Psicologia faz uso do termo resiliente para classificar uma pessoa que consegue passar por situações aversivas e se recuperar facilmente voltando ao seu estado físico e emocional “normal”. O que se observa na prática e em diversas pesquisas é que sair para se divertir na maioria dos casos aumenta a auto-estima, a auto confiança e a resiliência das pessoas. Assim dizendo, uma pessoa que tem um equilíbrio entre estudar e se divertir torna-se mais resiliente. Neste sentido, estudantes que vão prestar vestibular não precisam deixar de viver no ano de seu vestibular. Na medida certa, baladas, futebol com os amigos, academia, saídas para o cinema, festas, namoro e lazer só fazem bem, desde que não atrapalhe a rotina de estudos.

Um outro ponto importante é que o nosso cérebro é formado por neurônios (células nervosas) e que tais células sofrem da mesma fadiga que os nossos músculos (células musculares). Um indivíduo em uma academia de musculação, por exemplo, exercita por um tempo e depois relaxa, descansa a musculatura, seja durante o treinamento, seja após, caso o contrário ele pode se lesionar ou perder massa muscular por esforço repetitivo. Analogamente,

o nosso cérebro funciona da mesma forma, ele precisa de intervalos menores - entre os estudos - e alguns maiores - fim do dia ou um fim de semana - para manter um bom desempenho ou melhorá-lo (aumento do número de associações sinápticas) e evitar a fadiga.

A preparação para o vestibular exige, acima de tudo, dedicação nos momentos de estudo e diversão nas horas de lazer. Metade do tempo que o vestibulando tem livre, fora de uma sala de aula ou de uma cama, ele deveria aproveitar para se dedicar aos estudos da melhor maneira possível, realizando exercícios, tirando dúvidas, revisando o que já foi visto e fazendo anotações. A outra metade seria reservada para relaxar, praticar esportes, sair com os amigos e ir a festas ou baladas.

- Os pais podem ajudar a encontrar esse equilíbrio permitindo e proibindo certas coisas? De que forma eles podem ajudar?

Quando os estudantes estão se preparando para o vestibular, alguns pais exigem que seus filhos desprezem seus momentos de folga, deixem de sair com os amigos e de ir a festas. Agem de uma maneira equivocada, pois essa pressão e exigência prejudicam o desempenho.

Eles podem ajudar observando a rotina de estudos e a rotina de lazer e avaliar se estas rotinas estão muito discrepantes. Caso o filho esteja estudando demais e saindo pouco os pais devem estimular que eles participem de mais atividades sociais ou outras práticas de lazer que o vestibulando goste. Em contrapartida, se o filho estiver estudando de menos e saindo muito, os pais precisam criar condições e consequências de perdas durante a semana para que se tornem mais responsáveis e se esforcem mais. Por exemplo, “Se estudou sai, se não estudou não tem dinheiro para sair ou não sai.” Além disso, neste último caso, os pais precisam elogiar os esforços ou pontos positivos dos filhos para que aumente a rotina de estudos.

- Quais são as dicas para que o vestibulando encontre a medida certa?

A rotina dos vestibulandos costuma ser um verdadeiro treinamento de guerra. Provas semanais, simuladões exaustivos, aulas nos finais de semana, reforços extra-classe e resolução de centenas de exercícios num único dia são algumas das estratégias para assimilar o que ainda não foi aprendido. Entretanto, esta rotina exagerada pode atrapalhar. Para que o estresse não ocorra antes do tempo segue abaixo algumas dicas para o vestibulando:
1) O estudo deve ser organizado constantemente, e o lazer e descanso são fundamentais. O aluno precisa de pelo menos um dia na semana para se divertir e relaxar.
2) Fazer intervalos de descanso, ou seja, estudar duas horas e ficar de 20 a 30 minutos para relaxar. Neste momento o aluno pode conversar sobre assuntos irrelevantes com os amigos, levantar para andar um pouco, beber um suco, dar um telefonema etc.
3) Se exceder durante a semana com os estudos, permitir um momento maior de lazer e entretenimento no fim de semana para chegar renovado na segunda.
4) Se não costuma fazer atividades esportivas, pode andar de bicicleta ou patins, caminhar no parque, dançar etc. O que importa é por o corpo em movimento.
5) É sempre importante lembrar que os momentos de diversão com os amigos não são perda de tempo. Pelo contrário, eles são um investimento.
6) Descanso não significa apenas dormir, mas se divertir, fazer as coisas que você mais gosta e praticar exercícios físicos leves.
7) Evitar baladas até muito tarde e ir em dias certos - Estabelecer um horário para ir embora da balada ajuda a não atrapalhar o relógio biológico durante a semana. Além disso, dar preferência as baladas de sexta ou sábado a noite para não prejudicar o ritmo de estudos durante a semana.

Reginaldo do Carmo Aguiar é psicólogo clínico comportamental, analista do comportamento e estudioso das Neurociências.

Trabalha com orientação vocacional e trabalhos antiestresse para vestibulandos e concursandos.
Endereço da clínica: Rua Antônio Arruda Camargo, 195 (esta rua é paralela a Norte-Sul atrás do Mc Donalds) CEP: 13092-170.

Bairro: Nova Campinas Cidade: Campinas-SP

Entrar em contato pelo e-mail: psicopoesia@yahoo.com.br.

Blog: www.psicopoesia.blogspot.com/
Fone: (19) 32941005 e (19) 32526513


Oficina do Estudante
Cursinho Pré-Vestibular e Ensino Médio de Campinas
www.oficinadoestudante.com.br