• banner bolsa de estudo
  • banner aprovação medicina
  • banner aprovados unicamp
  • banner aprovados

Orientao Vocacional

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Como voc escolhe?

20 de Abril de 2012

É provável que você goste de chocolate e, dentre os vários tipos de chocolate que existem no mundo, possivelmente você goste mais de um do que de outros. Ao leite, crocante, meio amargo, branco: as opções são várias. Mas, e se alguém lhe perguntar: por que você gosta de chocolate? “Porque é gostoso”, “porque é doce”,  “porque estimula a produção de serotonina no meu cérebro e isso me faz mais feliz” são apenas algumas das respostas possíveis. Mas, talvez, você apenas respondesse: “eu gosto porque eu gosto!”. E ponto. Tem coisas na vida que a gente não precisa gastar muita energia pensando e que simplesmente não precisam de justificativas. 

 

Mas tem outras coisas que precisam, sim, de uma boa reflexão, que a gente precisa entender bem por que está escolhendo uma coisa e deixando várias outras opções pra trás. Entre elas, certamente, está a profissão.

 

Embora não seja algo eterno, a profissão que você escolher vai ocupar uma boa e importante parte da sua vida. A sua profissão, seja ela qual for, vai fazer você conhecer muita gente nova, vai proporcionar que você viaje, que compre novas versões do iPad. Ela vai te dar um bom punhado de alegrias e também um tanto de dor de cabeça e preocupação porque, afinal, tudo tem seu preço. Por isso, com a escolha da profissão, não dá para ter uma atitude “eu gosto porque eu gosto”, como se fosse um chocolate.

 

Então, nessa reflexão, mais importante do que responder “o que eu quero fazer?” é pensar em “por que eu quero fazer?”.

 

Essa pergunta, que pode parecer bem simples, é na verdade bem profunda e difícil de responder. E se torna ainda mais difícil ao se perceber que não há respostas certas ou erradas, ou mesmo respostas esperadas para essa questão. Mas, independente de qual motivo você der, é bom que você saiba: pensar bem sobre por que você quer seguir uma profissão ou outra, vai lhe ajudar a tomar decisões importantes e depende, basicamente, de uma “habilidade” chamada autoconhecimento, que pode e deve ser aprendida e há profissionais capacitados que podem lhe ajudar nisso.

 

“Para ser rico”, “para ajudar os outros”, “para ter reconhecimento e status social”, “para ser feliz”, “para ajudar minha família”, “para poder viajar e conhecer o mundo”, “para fazer a vida dos outros mais alegre” são apenas algumas possibilidades de resposta para a pergunta “por que eu quero ser?”. Certamente, sem muito esforço, você, leitor, poderia pensar em mais algumas respostas.

 

Procure pensar nelas sem fazer julgamentos do tipo bom/mau, justo/injusto, certo/errado. Apenas responda: por que você quer ser?

 

 

Rodolfo A. M. Ambiel
Psicólogo - CRP 06/96708

Orientação Profissional e de Carreira

Atendimento em Campinas, Valinhos e Itatiba

Telefones: (19) 9296-1443 / (11) 9822-2211

Blog: www.decisoesprofissionais.blogspot.com

E-mail: ambielram@gmail.com
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5057292997836738


É provável que você goste de chocolate e, dentre os vários tipos de chocolate que existem no mundo, possivelmente você goste mais de um do que de outros. Ao leite, crocante, meio amargo, branco: as opções são várias. Mas, e se alguém lhe perguntar: por que você gosta de chocolate? “Porque é gostoso”, “porque é doce”,  “porque estimula a produção de serotonina no meu cérebro e isso me faz mais feliz” são apenas algumas das respostas possíveis. Mas, talvez, você apenas respondesse: “eu gosto porque eu gosto!”. E ponto. Tem coisas na vida que a gente não precisa gastar muita energia pensando e que simplesmente não precisam de justificativas. 

 

Mas tem outras coisas que precisam, sim, de uma boa reflexão, que a gente precisa entender bem por que está escolhendo uma coisa e deixando várias outras opções pra trás. Entre elas, certamente, está a profissão.

 

Embora não seja algo eterno, a profissão que você escolher vai ocupar uma boa e importante parte da sua vida. A sua profissão, seja ela qual for, vai fazer você conhecer muita gente nova, vai proporcionar que você viaje, que compre novas versões do iPad. Ela vai te dar um bom punhado de alegrias e também um tanto de dor de cabeça e preocupação porque, afinal, tudo tem seu preço. Por isso, com a escolha da profissão, não dá para ter uma atitude “eu gosto porque eu gosto”, como se fosse um chocolate.

 

Então, nessa reflexão, mais importante do que responder “o que eu quero fazer?” é pensar em “por que eu quero fazer?”.

 

Essa pergunta, que pode parecer bem simples, é na verdade bem profunda e difícil de responder. E se torna ainda mais difícil ao se perceber que não há respostas certas ou erradas, ou mesmo respostas esperadas para essa questão. Mas, independente de qual motivo você der, é bom que você saiba: pensar bem sobre por que você quer seguir uma profissão ou outra, vai lhe ajudar a tomar decisões importantes e depende, basicamente, de uma “habilidade” chamada autoconhecimento, que pode e deve ser aprendida e há profissionais capacitados que podem lhe ajudar nisso.

 

“Para ser rico”, “para ajudar os outros”, “para ter reconhecimento e status social”, “para ser feliz”, “para ajudar minha família”, “para poder viajar e conhecer o mundo”, “para fazer a vida dos outros mais alegre” são apenas algumas possibilidades de resposta para a pergunta “por que eu quero ser?”. Certamente, sem muito esforço, você, leitor, poderia pensar em mais algumas respostas.

 

Procure pensar nelas sem fazer julgamentos do tipo bom/mau, justo/injusto, certo/errado. Apenas responda: por que você quer ser?

 

 

Rodolfo A. M. Ambiel
Psicólogo - CRP 06/96708

Orientação Profissional e de Carreira

Atendimento em Campinas, Valinhos e Itatiba

Telefones: (19) 9296-1443 / (11) 9822-2211

Blog: www.decisoesprofissionais.blogspot.com

E-mail: ambielram@gmail.com
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5057292997836738

Conhea outras atividades

Saiba Mais