Tira Dúvidas

  • Compartilhar
  • Oficina do Estudante no Facebook
  • Oficina do Estudante no Twitter
  • Imprimir Imprimir

Energéticos funcionam?

13 de Junho de 2011

Imagine a situação: você passou uma noite toda sem dormir, provavelmente nos estudos para o vestibular, e pela manhã você tem que agüentar a correria de mais um dia no cursinho. Então, que tal aproveitar uma fonte extra de energia, como uma bebida energética bem geladinha?

Mas antes de escolher a sua bebida energética, é bom entender como ela funciona.

Bebida energética ou energético é uma bebida não alcóolica que estimula o metabolismo e tem como finalidade fornecer ao consumidor energia através da ingestão de carboidrato, cafeína e taurina. Geralmente o energético é vendido em latinhas de alumínio ou garrafas PET’s, todos contêm dióxido de carbono, como os refrigerantes e não há na fórmula de nenhum fabricante qualquer componente considerado droga, como por exemplo o álcool etílico.

Mas o que é a taurina que existe nas bebidas energéticas? A taurina é o ácido 2-amino-etanossulfônico, um dos aminoácidos não-essenciais mais abundantes do nosso organismo, podendo especialmente ser encontrado na bílis, no sistema nervoso central, nos músculos esqueléticos, no coração e no cérebro e, é o único ácido aminossulfônico conhecido a ser produzido por meios naturais. É um aminoácido essencial para os gatos.

Age com a glicina e o ácido alfa-aminobutírico como um transmissor neuroinibidor. Atua como emulsionante dos lipídeos, no intestino delgado, promovendo a sua absorção intestinal, já que é um dos ácidos mais abundantes da bílis (o ácido quenodesoxicólico). A taurina age ainda como transmissor metabólico e fortalece as contrações cardíacas.

Na bebida energética a taurina age como desintoxicador no organismo humano, facilitando a excreção de substâncias que não são mais importantes para o corpo pelo fígado. Intensifica os efeitos da insulina, sendo responsável por um melhor funcionamento do metabolismo de glicose e aminoácidos, podendo auxiliar o anabolismo. Não é incorporada em enzimas e proteínas, mas possui um papel importante no metabolismo dos ácidos da bílis.

Atenção!

Todos os fabricantes advertem aos consumidores que não é recomendável o consumo com bebida alcoólica, já que estudos sugerem que a taurina suprime o efeito depressor do álcool etílico, deixando a pessoa estimulada e mascarando os sinais de embriaguez. Crianças, gestantes, nutrizes, idosos, portadores de enfermidades e pessoas que tomam remédio devem consultar o médico antes de consumir o produto.

Quando ingeridas em excesso e indiscriminadamente, os energéticos podem trazer efeitos colaterais sérios. A bebida traz possíveis efeitos colaterais como aumento da freqüência cardíaca, insônia e também pelo efeito diurético.

É a cafeína ainda que acelera a perda de cálcio e magnésio pelo organismo, podendo causar câimbras e, no futuro, osteoporose. Quem toma cafeína em excesso corre o risco ainda de ter dependência da substância, pois ela diminui a sensação de dor e cansaço.

Resposta: Prof° Anderson Dino

www.oficinadoestudante.com.br


Imagine a situação: você passou uma noite toda sem dormir, provavelmente nos estudos para o vestibular, e pela manhã você tem que agüentar a correria de mais um dia no cursinho. Então, que tal aproveitar uma fonte extra de energia, como uma bebida energética bem geladinha?

Mas antes de escolher a sua bebida energética, é bom entender como ela funciona.

Bebida energética ou energético é uma bebida não alcóolica que estimula o metabolismo e tem como finalidade fornecer ao consumidor energia através da ingestão de carboidrato, cafeína e taurina. Geralmente o energético é vendido em latinhas de alumínio ou garrafas PET’s, todos contêm dióxido de carbono, como os refrigerantes e não há na fórmula de nenhum fabricante qualquer componente considerado droga, como por exemplo o álcool etílico.


Mas o que é a taurina que existe nas bebidas energéticas? A taurina é o ácido 2-amino-etanossulfônico, um dos aminoácidos não-essenciais mais abundantes do nosso organismo, podendo especialmente ser encontrado na bílis, no sistema nervoso central, nos músculos esqueléticos, no coração e no cérebro e, é o único ácido aminossulfônico conhecido a ser produzido por meios naturais. É um aminoácido essencial para os gatos.

Age com a glicina e o ácido alfa-aminobutírico como um transmissor neuroinibidor. Atua como emulsionante dos lipídeos, no intestino delgado, promovendo a sua absorção intestinal, já que é um dos ácidos mais abundantes da bílis (o ácido quenodesoxicólico). A taurina age ainda como transmissor metabólico e fortalece as contrações cardíacas.

Na bebida energética a taurina age como desintoxicador no organismo humano, facilitando a excreção de substâncias que não são mais importantes para o corpo pelo fígado. Intensifica os efeitos da insulina, sendo responsável por um melhor funcionamento do metabolismo de glicose e aminoácidos, podendo auxiliar o anabolismo. Não é incorporada em enzimas e proteínas, mas possui um papel importante no metabolismo dos ácidos da bílis.


Atenção!

Todos os fabricantes advertem aos consumidores que não é recomendável o consumo com bebida alcoólica, já que estudos sugerem que a taurina suprime o efeito depressor do álcool etílico, deixando a pessoa estimulada e mascarando os sinais de embriaguez. Crianças, gestantes, nutrizes, idosos, portadores de enfermidades e pessoas que tomam remédio devem consultar o médico antes de consumir o produto.

Quando ingeridas em excesso e indiscriminadamente, os energéticos podem trazer efeitos colaterais sérios. A bebida traz possíveis efeitos colaterais como aumento da freqüência cardíaca, insônia e também pelo efeito diurético.

É a cafeína ainda que acelera a perda de cálcio e magnésio pelo organismo, podendo causar câimbras e, no futuro, osteoporose. Quem toma cafeína em excesso corre o risco ainda de ter dependência da substância, pois ela diminui a sensação de dor e cansaço.

Resposta: Prof° Anderson Dino

www.oficinadoestudante.com.br